BEDA · Cartas e Escritos

[BEDA #8] – Cartas Alternativas #4

Olá, reclusos! Como vocês estão? Caramba, hoje já é o oitavo dia de BEDA, como passou tão rápido? Então, estamos aqui com mais um quadro das Cartas Alternativas e com um aviso: nem sempre mais vocês irão encontrar pessoas apenas do grupo, agora esse se tornou um quadro meu para as pessoas que eu amo.

Amanhã estaremos aqui, no mesmo horário e no mesmo local. Até mais!

Silas,

Eu sei que não é todo mundo que te chama assim e, na verdade, você nem é conhecido por ele, mas não foi do seu nome que eu vim falar hoje.

Hoje eu vim me voltar só pra você.

Sabe o correio que você recebeu? Eu que mandei entregar e isso aqui é só um pedacinho do que eu queria fazer por você, de verdade. A questão é que eu também não sei bem por onde começar.

Quando a gente se conheceu eu te cantei, fiz isso até você vir falar comigo, pedindo pra eu parar, mas eu nem levei a sério o que eu fiz. Eu só queria um pretexto pra te conhecer melhor e consegui.

Todas as vezes que eu desabafava era contigo e acabei ganhando um pouco da sua confiança pra que você contasse pra mim o que se passava com você. Foi mais ou menos nessa época que eu percebi que não seria uma amiga boa o bastante pra você.

Comecei a controlar a sua rotina de água e alimentação, no intuito de te ajudar com a dieta, mas acabei me estressando demais com você e eu nem me lembro o porquê. Toda a raiva que eu sentia aquela época foi direcionada a você, até que eu sumi.

Te deixei com seus problemas, mesmo tendo me comprometido em te ajudar. Me perdoa, por favor.

No período em que eu passei longe sempre me pegava pensando se você estava bem ou se ainda se sentia mal como antes, até que voltamos a nos falar e percebi que as coisas estavam cada vez piores. Nos meus conselhos eu me precipitei em achar que ajudaria em algo efetivo e me acomodei nisso também.

Conclusão: não fui boa o bastante por quebrar minha promessa.

Mas eu não estou aqui pra me lamentar, longe disso. Estou aqui, com o coração beeem aberto, pra dizer que eu sempre quero ser uma opção pra você. Quero poder ser a pessoa em quem você vai pensar quando estiver mal, quero ser aquela de quem você vai se lembrar quando quiser conversar com alguém. Quero poder ser uma opção pra você.

E quero não te decepcionar com ela, porque eu sei das decepções que você já teve na vida (algumas, nem todas) e quero ser um suporte.

Com muita sinceridade e carinho,

Lu.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s